Attempting The Imposible, pintura de René Magritte, suscita como tema a figura do artista. A obra de arte sempre será maior que o artista, mas é pelo artista que a obra se configura. “Alguns homens vêem as coisas como são, e dizem: Por quê? Eu sonho com as coisas que nunca foram e digo: Por quê não?”, assim disse o dramaturgo irlandês, Bernard Shaw, é essa a postura do verdadeiro artista, que não teme se lançar no poético.
A arte tem suspensão do real em nome da criação, e isso fica evidente deste quadro, é como Shaw nos diz “Por que não?”. O manifesto surrealista também constrói essa idéia: “Não será o temor da loucura que nos forçará a hastear a bandeira da imaginação a meio pau”. Tudo nos é permitido na arte, e é por isso que ela é tão fascinante. Michel Foucault já colocava que “A ficção consiste não em fazer ver o invisível, mas em fazer ver até que ponto é invisível a invisibilidade do visível.”
Essa estância dá ao artista um poder especial, é ele quem usufrui primeiro dessa morada mítica. É pelas mãos dele que se faz aparecer o que até então não existia, para além de um simples artesão, que cria algo que em seu plano original é positividade, mas na exatidão de “poeta” pode continuar no negativo. Depois de citar Giorgio Agamben : “quem apreende a máxima irrealidade, plasmará a máxima realidade” posso pausar esse diálogo ousando citar Manuel de Barros: “Há histórias tão verdadeiras que ás vezes parece que são inventadas.

5 Recados:

Diogo disse...

mto bom

só uma coisa,

Posso perguntar onde está a frase citada do Agamben?

Barbara disse...

No Prefácio do Livro "Estâncias: a palavra e o fantasma na cultura ocidental."

Toon disse...

muito bom. bela análise.

Diogo disse...

tá ok

obrigado

é que tenho estudado o Agamben, minha Monografia será com base em suas terias, principalmente sobre soberania e estado de exceção.

Como ele é um pensador não mto conhecido no Brasil fiquei surpreso e feliz com a citação.

Aura Sacra Fames disse...

Uma pena Gabeira não ter ganho.

Ótimo texto, você coloca o artista como criador e ainda assim nega essa arte, "ela não é minha", boa citação de Foucault.

Abraços
aurasacrafames.blogspot.com