Rio duas vias


Três bondinhos por sua Tereza
Posto que nove seja a menina que vem e que passa...
Nem só de Leblon vive a Lapa

Terra-província
Mar que se aterrou
Largo da Carioca que vende arte
Centro-Avenida
Avenida do Rio Branco...
Rio canto,
E se canta é samba
E samba é no morro
Se é morro, tem que ser Estácio
Estácio mira braços Redentor
Estende mãos Guanabara
Pra Guanabara, há quem diga que no Rio não tem Bahia
Há de ter Ilha Grande, tamanha Angra que estoure fenda do saco do céu
Há de ter travessura suburbana nas vilas e casas
Romper Janeiro na copa de um mar

Pra ser Laranjeiras, inegável planta-lá de pé
Rio duas vias
Nascente ao mar.

3 Recados:

Liza disse...

você conseguiu colocar em palavras as coisas lindas (e outras nem tanto) da nossa cidade.

achei irônico como você teve a idéia desse tema bem quando eu estava saindo do rio. mas não é que deu certo?!

e agora eu tenho que terminar com o banal: lindo lindo!

Bianca disse...

Teu Rio é lindo...faz querer ser carioca da gema em três tempos...teus textos e poemas citam muito a cidade e dão graça ao "carioques".
Parabéns pelo "traquejo" da escrita...os versos simples fazem a gente não querer parar de ler.

Rafa disse...

Colocou tudo em duplo sentido... colocou tudo o que o rio é... rs!