A incógnita do mar da morte


Em nossa época, vende-se a ilusão de que é possível controlar com pílulas sentimentos tão intangíveis como a melancolia ou a tristeza, prender a juventude à força de bisturis e cosméticos, prescindir da tradição e construir-se a si mesmo sem dever nada a ninguém.


A morte nos lembra que há algo de errado nesta equação.


Podemos transformar o corpo, mas não evitamos que ele morra.


Podemos decidir entre marcas na prateleira, mas não decidimos deixar de morrer.


Podemos fazer nossas próprias regras, mas entre elas não está viver para sempre.


O ser humano, o ser ‘pensante’ tenta controlar o universo, sempre evoluindo em suas descobertas, mas a morte nos confronta com a questão fundamento do nosso limite.


Ela é o limite, barreira intransponível.


Esse desconhecido gera inúmeras questões e infinitas teses.


Alçamos vôos inacreditáveis, mas ainda não conseguimos mergulhar nesse mar de incertezas.


O tempo da morte não corresponde ao nosso, em alguns casos conseguimos entender esse cronograma peculiar, mas este calendário não contém ano, meses, semanas e dias...


Só sabemos que existe um início e um fim.

5 Recados:

Rafa disse...

as cores? apenas pra alegrar o ambiente!

Rodrigo Campos disse...

Rafa, seu texto fala de um tema bastante polemico. E digo polemico porque não é facil falar dele, visto que é um assunto que traz tristeza e que machuca muito a gente, principalmente quando ocorre uma situação de morte com um ente querido. Mas concordo com todas as suas reflexões sobre o tema e inclusive também tenho algumas idéias sobre esse assunto, mas me falta algo para escrever, talvez seja coragem. Sei lá. Não me sinto muito confortável falando sobre morte.

Mas, só pra aproveitar o gancho, te recomendo como leitura o livro "A menina que roubava livros", cuja a narradora da história é a própeia morte. Leitura imperdivel e emocionante!

ps: Te deixo o link pra vc baixar o livro, caso queira.

http://www.4shared.com/file/39832612/b88fdcac/A_Menina_Que_Roubava_Livros_-_Markus_Zusak.html

Rodrigo Campos disse...

Soh uma observação...

Está PERFEITO o lay-out desse blog!

=D


Rafa, dps me mostra como faz pq eu não lembro desta opção não.. rsrsrs

Aura Sacra Fames disse...

Já diziam que a morte é a única certeza da vida, apesar de eu não concordar por completo com a máxima.


Abraços
aurasacrafames.blogspot.com

Rafa disse...

deixei de dizer que este não é totalmente meu... foi baseado numa reportagem da revista época sobre cuidados paliativos. super interessante!

bjos